Últimas notícias
Hojé é
22 February 2017

Editorial

 

O Natal existe?

 

Natal, festa pagã,

Veja o que de fato vem a ser o natal.

O Natal é considerado como a celebração do nascimento de Cristo, entretanto a história não é bem essa.

Em Lucas capítulo 1 a palavra do Senhor nos ensina sobre o nascimento de Jesus, porém não há relatos da data do seu nascimento. Durante muitos anos não foi comemorado o nascimento de Jesus Em Roma no ano 336 d.C., foi determinado, supostamente pelo imperador Constantino, que a data desta comemoração deveria ser 25 de dezembro, mas anteriormente, outras datas eram utilizadas (20 de maio, 18 ou 19 de abril, 25 ou 28 de março, 6 de janeiro, etc.)

Em Lucas 2-8 a Bíblia nos ensina que O Salvador nasceu enquanto havia pastores no campo. Os pastores não conseguem levar o rebanho e o gado para pastar no campo se ele estiver coberto de gelo. Nem podem se acampar no meio da neve. Desta forma, é possível concluir que a época em que os pastores estavam no campo e receberam a notícia do nascimento de Jesus não era inverno, consequentemente, não era dezembro nem janeiro. Tudo indica que Jesus nasceu na primavera. Para o Brasil, a primavera é setembro e não dezembro, ainda assim no oriente médio e, ou palestina há outro clima.

A
comemoração permaneceu dia 25 de dezembro para substituir, ou pelo menos mascarar, outras festas pagãs. A principal festa pagã comemorada no dia 25 de dezembro era a festa ao deus sol. Esta festa era o agradecimento pelo fim do inverno e o renascimento do sol, quando os dias começavam a ser mais longos. Havia ainda outra festa na mesma data que era adoração ao deus saturno, deus da agricultura. Vários costumes desta festa se propagaram até hoje na festa do natal.

  

A festa ao deus sol

 

Gênesis 9. 21-27 Noé amaldiçoou seu filho Cã, por ter visto sua nudez e contado para seus irmãos.

Posteriormente, da descendência de Cã, nasceu um que se intitulava deus sol (ler Gênesis 10 – 6 e seguinte;). Ninrode era filho de Cuxe, um guerreiro, e Sâmiramis. Seu nome significa rebeldia ou revolta. Foi a exata personificação da desobediência. Fazia tudo contra a vontade de Deus. Ninrode edificou varias cidades, dentre as quais estão Nínive e Babel, que posteriormente se tornou a babilônia. Tentou construir uma torre que chegasse ao céu. Depois desobedeceu, mais uma vez, ao Senhor e tomou sua mãe por esposa. Sâmiramis se casou com o deus sol e se auto intitula deusa lua. Ninrode obrigava o povo a adorá-lo.

Sem, o outro filho de Noé, Tio-avô de Ninrode, quando percebe que seu sobrinho-neto não tem mais limites e não respeita mais à Deus, mata-o na esperança de acabar com tantos problemas.

 

O povo começou a questionar como um deus poderia morrer. Desta forma, Samiramis inventou uma desculpa, dizendo que o deus sol voltou para o seu lugar de origem. Sustentou que: “o deus sol não morreu, pois se tivesse morrido, o sol não continuaria brilhando”. Tempos depois, Samiramis engravidou. Para esconder o adultério, Samiramis disse que o espirito de Ninrode a engravidou. Nasceu um filho  Samiramis deu-lhe o nome de Tamuz. Para continuar o engano, Samiramis diz que Tamuz era o próprio Ninrode, o próprio deus sol.  Afirmou que Tamuz era a reencarnação de Ninrode. Consultou seus astrólogos que disseram que 25 de dezembro é o solstício de inverno, dia em que o sol está mais distante da terra. Sâmiramis ordenou, assim, que o mundo comemorasse o aniversário de seu filho Tamuz neste dia, visto que ele era o deus sol (Baal-Tamuz).

Essa família, considerada como a família real, ou família sagrada, é a trindade profana, pois profanaram ao Senhor, e não respeitaram seus mandamentos.

Muitos judeus adoraram esses deuses. (Ezequiel 8. 14)

Com o passar do tempo os nomes foram sendo mudados para disfarçar a real história.

 

TRINDADE SATÂNICA

Grécia

Egito

Império
Romano

Atualmente

Ninrode

Zeus

Osíres

Saturno

Pai

Samiramis

Afrodite

Ísis

Venus

Espirito

Tamuz

Éros

Hórus

Cupido

Filho

Passados os anos, a igreja católica resolveu usar a mesma festa para comemorar o nascimento de Jesus. Omitiram, assim, o nome de Tamuz e a sua história, e colocaram Jesus como aniversariante do dia. As celebrações aos deuses sol eram muito festivas e cheias de exageros. Todos tinham os mesmos direitos (servos, patrões, mulheres, homens, etc). Por isso era uma boa data para estipular a comemoração do nascimento do Salvador.

 

(Ler João 8. 12)

 

Outros problemas que se nota na origem do natal é que os mesmos costumes das festas pagãs foram trazidos e se perpetuam até hoje.

 

Fogueira de natal – as fogueiras de natal (comuns em outros países, onde é inverno) são costumes tomados por empréstimo dos Escandinavos que costumavam acender imensas fogueiras em honra ao sol.

 

Árvore – Proveniente da história de Tamuz. Depois que Ninrode morreu, nasceu Tamuz. Para o povo, era a reencarnação de Ninrode, o deus sol. Um certo dia, quando Tamuz estava em um bosque, morre acidentalmente e seu corpo é encontrado sobre um tronco. Mais uma vez, Samiramis é questionada sobre a morte do deus, e Samiramis diz que o deus sol foi para o seu lugar de origem. Enterra seu filho no exato local de sua morte. No mesmo lugar em que Tamuz morreu, nasceu uma árvore, e sua mãe disse para o povo que aquele era seu fruto, e deveria ser adorado. Disse também que era uma prova de que o deus sol estava vivo e deveria ser adorado.

A árvore é a promessa de que o deus sol retornaria. A árvore verde representava a esperança e imortalidade. Seu verde era duradouro.

Com o passar do tempo, as árvores eram enfeitadas e adoradas. Existem várias correntes sobre os enfeites que eram colocados nas árvores. Uns dizem que a árvore era enfeitada com cabeça e membros das crianças hebreias, que eram mortas em sacrifícios pagãos. Surgiu no local hoje conhecido como Índia.

Outros dizem que eram apenas cabeças de meninas, que eram decepadas, e ficavam ensanguentadas, por isso eram vermelhas.

Há quem diga que a árvore era enfeitada com maçãs pra lembrar-se da maçã que Eva comeu no jardim do Éden. A maçã representa ouro. Representa um fruto do paraíso que também são desdobramentos do sol, que é provedor da vida. A maçã, assim como o sol, representa a vida.

Qual quer que seja a corrente escolhida, é uma grande afronta ao nosso Senhor Jesus. (Ler Jeremias 10.3, Ler Êxodo 20.) é simplesmente uma grande mentira de sataz inserida nas mentes tanto dos católicos quanto de uma grande parte de cristãos evangélicos que são guiados por pastores cegos e sem conhecimento da verdade, verdadeiros lobos e não pastores…

 

Guirlanda – Conhecida por coroa de natal, é memorial de consagração. Pode ser entendida como oferenda, oferta para funerais, celebração memorial aos deuses. Celebração das vítimas que eram sacrificadas aos deuses pagãos.

 

Velas – Também é uma velha tradição pagã. Antigamente eram utilizadas para reanimar o deus sol quando ele se extinguia para dar lugar à noite e à lua.

 

 

Presépios – O presépio é uma montagem com peças que faz referencia ao nascimento de Jesus. Tem o “menino” Jesus ao centro, e as outras figuras, todas feitas como imagens de esculturas. Pessoas vão até o presépio e ajoelham-se e adoram aquelas imagens.  (ler Êxodo 20). Observe a grande  mentira, o menino Jesus cresceu,  veja o salmo 115, “nosso Deus tém pés e anda, tem boca e fala, tem ouvido e ouve”…

 

Papai Noel – Esta figura adveio de são Nicolau, um bispo da igreja Católica, na Ásia (Turquia) aproximadamente 300 anos a.C. Nicolau era um homem de aparência totalmente diferente do “Noel” atual, mas era generoso e gostava de dar presentes. Quando se tornou bispo passou a usar roupa vermelha e barba branca. Entretanto, a palavra do Senhor nos diz que a ninguém devemos chamar de pai. A oração do Pai nosso deixa bem claro quem é o nosso pai. JESUS CRISTO, NOSSO ÚNICO E SUFICIENTE SALVADOR.

O calendário de Gregório foi instituído com 28, 29, 30, 31 dias, além de ser inserido o domingo pelo papa Damaso Ribeiro,  para tirar a adoração do sábado do Senhor; e dando o direito de descanso no domingo;  com  base bíblica, o calendário Judaico traz a contagem de 4 luas vigorando sete dias cada, podendo haver uma contagem de  7 dias, 3 horas e meia mais ou menos a cada sete dias podendo chegar até 29 dias; levando em consideração o relógio de acáz que declinou 10 graus, ainda assim podemos encontrar a adoração do sábado do Senhor, reitero, ignorado pelo catolicismo e extirpado por Gregório e normatizado por Roma.

            No calendário Judaico o ano se inicia no mês de Abibe, ou Nisã, ou abril, não em janeiro. Fomos enganados pela organização da igreja católica ainda no tempo da inquisição com a finalidade de impetrar várias Leis entre as quais se destaca a adoração a Maria e impondo a  trindade como doutrina para as igrejas evangélicas, formando assim, Babilônia, a grande. Entre várias outras determinações doutrinárias foi imposto as festas pagãs e religiosas entre as quais se destaca a mentira do natal.

            Acerca da trindade: Em Apocalípse 4-2 João Viu um trono, e um assentado no trono, não mais que um, esse texto joga por terra a mentira chamada trindade; veja no próximo editorial.

 

Este estudo poderia ser maior, mas apenas com o que já foi explicado é possível deduzir que o natal não é uma festa cristã, mas sim pagã bem disfarçada. Foi criada com objetivo de adorar outros deuses, que não o ÚNICO E VERDADEIRO DEUS.

A festa instituída por Jesus para ser comemorada é o dia da sua morte e ressurreição.

Ainda assim estamos empreendendo muito e estudando muito para levar ao leitor um estudo fundamentado, esperamos que seja de grande relevância e aproveitamento.

 

Nosso Deus tem pés e anda, tem boca e fala, tem ouvido e ouve…

Nosso Deus é senhor e não senhora!